Gratidão e crescimento: A história de Adriana Coelho

Gratidão e crescimento: A história de Adriana Coelho

Na década de 80, em Brasília, nasceram três meninas lindas, Andreia Coelho, Alessandra Coelho e eu. Nós tivemos uma infância cheia de surpresas, porém todo o cuidado e a atenção nos foram dados da maneira que meus pais aprenderam: Com suas histórias de vida.

Meu sentimento hoje se resume a uma palavra: “Gratidão”.

Sim, sou muito grata a Deus que, apesar de terem pouco estudo, meus pais formaram mulheres de caráter, íntegras, responsáveis, humanas e com vontade de crescer na vida. Hoje, casada, procuro juntamente com meu esposo caminharmos na estrada do crescimento, para assim termos e darmos algo melhor para os nossos filhos.

Gratidão

Com essa origem e raiz, tenho traçado meu caminho como ser humano e meu currículo profissional. Ah, e por falar em experiências profissionais, tenho muito orgulho e honra de fazer parte, até hoje, da empresa na qual fui admitida no ano de 2001. Foi meu primeiro emprego, aos 21 anos de idade, no setor de matrículas. Cheia de sonhos, assumi com veemência a responsabilidade de fazer o processo de atendimento na matricula dos alunos de baixa renda que sonhavam ingressar em uma Universidade Pública. E puxa… como me sentia importante.

Em dois anos, na prática de vender sonhos, não poderia resultar em outra coisa: Promoção… Oba! Estava subindo um degrau. Em 2003, fui indicada pela gerente pedagógica, Sra. Silvane Friebel, a quem muito estimo, para participar do processo seletivo, junto ao publico externo, a uma vaga para trabalhar no pedagógico. Que grande desafio eu tinha, mas ouvi aquela voz interna: “VAI ADRIANA, VOCÊ É CAPAZ!”.

No ano de 2005, mais uma conquista!

Aos 25 anos de idade, lá estava a jovem mulher sonhadora, com projetos incubados na mente e com muito compromisso, já coordenando a maior unidade de cursinho do Alub e seus projetos pedagógicos­ – Pacote de aprofundamento e Turma Avançada.

Com muitos altos e baixos; alegrias e tristezas; perdas e ganhos, a minha história tem sido escrita, com tinta de cor brilhante, diferente, resplandecente, como sempre descrevo os manuscritos dos projetos que planejo de forma especial.

Depois de ter feito o magistério e minha graduação em Pedagogia, percebi a necessidade de agregar conhecimentos ao meu currículo e decidi fazer Pós-Graduação em Gestão de Pessoas e Gestão de Projetos.

Passaram-se alguns anos e eu nem percebia o quanto estava envolvida e integrada a toda rede, quando, aos 28 anos de idade, mais uma vez fui convidada a trabalhar no pedagógico do Colégio Alub. Assim que assumi, meu coração irradiava alegria. Isso significava que estava no caminho certo e, que apesar das dificuldades, eu procurava desempenhar minhas atribuições com excelência.

Ao completar 32 anos de idade, em 2012, houve uma proposta do Diretor Geral para que eu estivesse à frente na Direção dos Projetos da rede Alub. Nesse momento, mais uma vez, com meu coração totalmente grato a Deus, tomei posse desse cargo com muito temor, apesar da credibilidade que me foi dada, mas com a certeza que iria dar o melhor para executar todos os projetos com empenho, dedicação e amor pelo aquilo que sempre me comprometo a fazer.

No final do ano de 2017, durante a festa de confraternização dos colaboradores, fui surpreendida pelo presidente da Rede Alub Educare, o Sr. Artur, com o reconhecimento do meu trabalho na rede. Tal homenagem veio acompanhada de atitudes e palavras que me deixaram lisonjeada.

Inicia-se o ano de 2018. Fui convidada pela gerente Learice Alencar para integrar o Grupo GED, onde eu, com meus 38 anos de idade, mãe de um casal de filhos, assumi esse cargo com a plena certeza de que trago minha bagagem, transmitida primeiramente pelos meus pais e segundo pelos que viram potencial de trabalho em mim, orgulho e compromisso para desempenhar, de forma competente, minhas novas atribuições, principalmente na gestão de projetos, onde tenho muito a contribuir.

O carinho e respeito pela empresa continuam aquecidos, já que se completam 17 anos de admissão, cumplicidade, vínculo, orgulho e muito a oferecer até a minha aposentadoria.

Agradeço pela oportunidade, por sempre acreditarem no meu potencial nas progressões, por eu poder ter meu pró-labore, mas, mais que isso, sinto-me realizada, satisfeita e motivada, em todos os dias ao me levantar e me arrumar, despedindo-me do meu esposo e filhos, para ir ao meu trabalho na rede Alub.

 

Para finalizar, registro a frase do célebre filósofo Confúcio:

ESCOLHA UM TRABALHO QUE VOCÊ AME E VOCÊ NUNCA TERÁ QUE TRABALHAR UM DIA EM SUA VIDA.
Adriana Coelho Rodrigues de Oliveira

Relacionados


Veja todos